MANEJO EMPÍRICO E ASSISTIDO DA IRRIGAÇÃO NA CULTURA DO MILHO-DOCE (ZEA MAYS L.)

Marcio Furlan Maggi, Carlos Tezza, Adenilsom dos Santos Lima, Sidnei Osmar Jadoski, Cacea Furlan Maggi

Resumo


O objetivo do trabalho foi comparar o manejo da irrigação empírica realizada pelo proprietário do equipamento de irrigação com o manejo de acordo com as estimativas de Evapotranspiração (Penman-Monteith) para as recomendações de manejo de acordo com o balanço hídrico da área irrigada. O trabalho foi desenvolvido em uma propriedade rural localizada no município de Itaipulândia, no Oeste do Paraná. Foi realizado o acompanhamento de dois ciclos de cultivo de milho-doce (Zea mays L.). No primeiro ciclo foi realizado acompanhamento do manejo de irrigação feito pelo agricultor, com o registro dos dados meteorológicos coletados por uma estação meteorológica automatizada instalada no local. No segundo ciclo foram feitas recomendações de manejo de acordo com o balanço hídrico, utilizando-se dos dados de clima do local, coletados pela estação. Foi medida a lâmina aplicada pelo equipamento e calculado o Coeficiente Uniformidade de Christiannsen (CUC). O manejo assistido com a utilização da estação meteorológica automática conduziu ao menor consumo de água e consequentemente menor consumo de energia comparando com o manejo empírico realizado pelo produtor.

 


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.48075/actaiguaz.v3i2.10623

Direitos autorais



Revista Acta Iguazu


ISSN 2316-4093 (versão eletrônica)

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Cascavel
Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Energia na Agricultura

Rua Universitária, 1619 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110
E-mail: revista.actaiguazu@unioeste.br