Estabelecimento inicial da cultura do milho em função da velocidade de trabalho e dos mecanismos sulcadores da semeadora

Paula Cristina Natalino Rinaldi, Cleyton Batista de Alvarenga, Renan Zampiroli, Weslei de Siqueira Ribeiro, Haroldo Carlos Fernandes

Resumo

Objetivou-se com este trabalho avaliar, em condições de campo, o desempenho da semeadora-adubadora no estabelecimento inicial da cultura do milho, em diferentes velocidades de trabalho e tipos de mecanismos sulcadores. O estudo foi desenvolvido na Universidade Federal de Uberlândia, campus Monte Carmelo – MG. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, com cinco repetições, combinando velocidades de trabalho (2; 4; 6; e 8 km h-1) com dois mecanismos sulcadores, disco duplo defasado e haste sulcadora. Avaliaram-se o espaçamento entre sementes; a distribuição longitudinal entre plântulas; o índice de velocidade e o tempo médio de emergência das plântulas. A velocidade de trabalho não apresentou influência significativa para os parâmetros avaliados. O sulcador do tipo disco duplo defasado apresentou melhores resultados para espaçamentos aceitáveis, falhos e múltiplos entre plântulas. Conclui-se que, a semeadura nas velocidades de 2 a 8 km h-1, dotadas com dosadores de disco alveolado horizontal não influenciam no estabelecimento da cultura do milho; nas condições de preparo convencional do solo recomenda-se o sulcador do tipo disco duplo defasado, devido a melhores resultados de espaçamentos aceitáveis, falhos e múltiplos.

 

Palavras-chave

espaçamento entre plântulas, índice de velocidade, tempo médio de emergência

Texto completo:

PDF