MUNDO-DA-VIDA E PARADIGMA: APONTAMENTOS ACERCA DA CRISE DAS CIÊNCIAS EM HUSSERL E KUHN

Devair Gonçalves Sanchez

Resumo

O presente artigo visa basicamente explorar a postura do método fenomenológico transcendental em meio à problemática da crise das ciências a partir da metade do século XIX. Na elaboração de seu método filosófico, a saber, a fenomenologia transcendental, Edmund Husserl (1859-1938) procura demonstrar que a condição do pensador no âmbito da Lebenswelt (Mundo-da-Vida) propiciará uma busca de rigor científico-filosófico mediante a aplicação conjunta de alguns conceitos aqui abordados. Num segundo momento pretende-se demonstrar qual a posição de um dos brilhantes filósofos da ciência do século XX, mediante o modus operandi das Ciências e de quem as conduz. Diante do deslinde de alguns conceitos embasados na obra A estrutura das Revoluções científicas (1962), objetiva-se apresentar o “trato teórico” de Thomas Kuhn (1922-1996) para com a atividade do cientista em meio ao processo de desenvolvimento deste saber, a partir dos primórdios do século XX.

Palavras-chave

Fenomenologia, Cultura, Ciências, Filosofia, Crise, Racionalidade

Texto completo:

PDF