Michael Apple e o currículo: da escola sem partido à educação holística

LEANDRO LUIZ LIED

Resumo

A disputa pelo controle do currículo dentro dos espaços da escola motiva pesquisadores, políticos, economistas e educadores a encontrar uma forma de se apropriar deste espaço em beneficio de seus interesses de classe. Michael Whitman Apple percebeu a importância desse debate e focou seu trabalho na análise da educação, do poder e da disputa do currículo entre as forças de direita, conservadora e da esquerda progressista/popular. Sob a ótica de Apple, analisaremos a formação dos conceitos e ideologias que disputam os espaços da educação; a formação da nova direita; as propostas da escola sem partido e da educação integral; as disputas, no caso brasileiro, entre os defensores da Escola sem Partido e da proposta de reestruturação do Ensino Médio contrapondo um projeto de educação integral e holística baseada nas experiências do Pibid e do Pacto do Ensino Médio. Por fim, proporemos uma nova forma de ver e de ser escola. Uma escola que responda as necessidades da sociedade e de seus jovens, uma escola que contemple a formação intelectual, que possibilite acesso a cultura, as práticas de cultivo do corpo e do espirito, que possibilite o desenvolvimento do ócio, que desenvolva as emoções, uma escola que contemple os novos paradigmas da humanidade: uma escola integral e holística.

Palavras-chave

Currículo. Michael Apple. Escola Sem Partido. Educação Holística

Texto completo:

PDF