DEMOCRACIA: UMA OBRA HUMANA ACABADA?

Weslei Trevizan Amâncio, Gustavo Biasoli Alves

Resumo

O presente artigo objetiva analisar algumas das principais características da democracia à luz dos conceitos, valores e propostas presentes em Alfio Mastropaolo, Robert Dahl e Simon Schwartzman, com a seguinte problematização: podemos considerar a democracia uma obra humana que teria encontrado seu esgotamento, podendo ser considerada devidamente acabada? Para tanto, destacamos algumas das principais questões que tangenciam as reflexões e análises dos autores sobre o tema. Em seguida, realizamos comparações entre os elementos conceituais, valorativos e propositivos à democracia compartilhados. Neste processo, diante das análises e reflexões dos autores, compreende-se que é fundamentalmente depositado à democracia, por ser uma obra humana, aspirações de diversos significados, interesses, intensões, paixões, sendo, portanto, permeada por imperfeições no seu exercício. Por fim, pode-se inferir que o povo deve ser parte da construção para que um regime seja caracterizado como democrático e, em especial nesse processo, compreender que a democracia longe de ser uma obra acabada, de ter se esgotado, está em constante modificação, portanto, inacabada.

Palavras-chave

Democracia; Dahl; Mastropaolo; Schwartzman

Texto completo:

PDF