A INTEGRAÇAO SOCIAL NA TEORIA SOCIOLÓGICA PARSONIANA

Celso Antonio Favero

Resumo

Neste trabalho desenha-se os contornos da teoria parsoniana da integração social,com o objetivo de mostrar como ela continua presente nas abordagens hegemônicas da integração econômica ou da integração dos mercados. Durante os anos 1940-1970, ela tornou-se uma espécie de paradigma incontornável para os que pretendiam formular teorias da integração social ou econômica no interior do multilateralismo, que consistia, essencialmente, numa integração social subordinada ao crescimento econômico. Nas décadas seguintes, o modelo foi intensamente bombardeado em virtude, principalmente, de transformar o conflito social numa espécie de anomalia. Com a difusão do neoliberalismo, o modelo parsoniano é novamente recuperado, muitas vezes de formas não explícitas, no contexto de algumas das abordagens sistêmicas de caráter funcionalista e, particularmente, com o objetivo de dar sustentação às teorias da integração dos mercados. No texto a seguir faz-se uma revisão histórico-teórica do pensamento de Parsons, tecendo-se alguns questionamentos. Inicialmente, é apresentada a sua teoria da ação; transita-se para a teoria do sistema; e finalmente apresenta-
se algumas das dimensões consideradas básicas da teoria do sistema, ou seja, suas perspectivas normativa, evolutiva e a da recusa em considerar a desigualdade, a diferença e a exclusão como dimensões inerentes ao próprio sistema capitalista. Aponta-se, ainda, para o crescimento da tendência, atualmente, em retomar a tese hegemônica dos anos 1940-1970, que transforma a integração social em mera decorrência da integração econômica.

Texto completo:

PDF