PREVALÊNCIA DE INDIVÍDUOS COM SINTOMAS DE DEPENDÊNCIA AO EXERCÍCIO NO AMBIENTE DE ACADEMIA DE GINÁSTICA

Paulo Henrique Santos da Fonseca, Adriane Graciele Zanatta

Resumo

O presente estudo teve como objetivo investigar a prevalência de pessoas com fatores que indicam sintomas de dependência do exercício em ambiente de academia. A pesquisa foi realizada em seis academias de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná, totalizando uma amostra de 195 indivíduos, sendo 114 mulheres e 81 homens, com idade entre 13 e 60 anos que praticavam qualquer tipo de exercício físico no ambiente de academia. Ao grupo foi aplicado o Questionário de Dependência do Exercício que envolve oito fatores que podem apontar sintomas de dependência do exercício, podendo a dependência ser diagnosticada para um ou mais fatores. Os fatores são: (1) Interferência na vida social, familiar e trabalho; (2) Recompensa positiva; (3) Sintomas de abstinência ao exercício; (4) Exercício para controle do peso; (5) Introspecção sobre o problema; (6) Exercício por justificativa social; (7) Exercício por justificativa de saúde; (8) comportamento estereotipado. Com relação aos fatores citados anteriormente o sexo feminino foi predominante nos três fatores que apresentaram a maior prevalência de sintomas de dependência do exercício: justificativa de saúde 59% (100), recompensa positiva 59% (98) e comportamento estereotipado 58% (63). Esses resultados levantam a hipótese que as mulheres, para amostra analisada, parecem estarem mais suscetíveis a desenvolver dependência ao exercício. Atento a esses valores vale ressaltar a importância de profissionais de Educação Física qualificados nas academias de ginástica, tendo conhecimento e capacidades suficientes para uma intervenção de forma saudável e consciente.

Palavras-chave

Saúde; Exercício Físico; Psicologia.

Texto completo:

PDF
';