A POLÍTICA DE ASSENTAMENTOS RURAIS NO CONTEXTO DA MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA BRASILEIRA (1950-1990)

Jean Carlos Ribeiro de Lima, Mary Anne Vieira Silva

Resumo

O presente artigo consiste em uma discussão teórico-metodológica sobre as políticas de assentamentos rurais no contexto da modernização da agricultura brasileira. Portanto, a partir de 1950, o Estado brasileiro adotou uma política de intensificação dos processos de aprimoramento da produção agrícola para atender aos ditames do capital urbano-industrial como forma de induzir a modernização agrícola. Ao longo desse processo, diversos trabalhadores do campo foram expulsos de suas terras como efeito de uma exacerbada concentração fundiária, resultado da política de modernização agrícola. A discussão envolve uma revisão bibliográfica sobre a literatura especializada na ótica de alguns autores, tais como MARTINS (1983/1985/2009); SANTOS e SILVEIRA (2001); GUIMARÃES (1982); SILVA (1983); BERGAMASCO (1996); LEITE (2004); SCOPINHO (2012); PALMEIRA (1994); MEDEIROS (1981/2009), entre outros. Compreende-se que, a partir da década de 1980, os assentamentos rurais emergiram de movimentos promovidos por trabalhadores do campo organizados como formas diversas de luta pela terra, o que culmina na ação estatal no âmbito das políticas públicas como meio de promover acesso à terra, bem como no interesse de diluir os conflitos agrários. 

Palavras-chave

Modernização da agricultura, Assentamentos rurais, Reforma agrária

Texto completo:

PDF