TRÂNSITOS DE PASSAGEM NO DISCURSO TEOLÓGICO LITERÁRIO

Josiele Kaminski Corso Ozelame

Resumo

Estreitar fronteiras entre Teologia e obras de ficção literária é dar possibilidades reflexivas ao ser humano para que ele possa direcionar seu olhar em uma outra direção, em que a literatura, enquanto arte, preocupa-se com o mundo ficcional e com as questões estéticas e, a teologia, busca uma compreensão de Deus e do homem sob a luz da fé. Como retificação do dogmatismo cristão,  as obras ficcionais que abarcam temas religiosos nos possibilitam ir além daquilo que vivemos, permitindo a construção de um mundo imaginário além-fronteiras, sem deixar que se perca a realidade efetiva, a recriação do “real” (teológico) em um plano imaginário (literário). Para analisar um diálogo entre a Teologia e a Literatura, mais especificamente, a figura do Diabo, partimos dos contos  Eu e Bebu na hora neutra da madrugada, de Rubem Braga, e Nostalgia do Amor Ausente, de Walmor Santos, buscando aporte teórico nos Estudos da Teopoética, principalmente, nos textos de Kuschel, Manzatto, Messadié, Nogueira, Russel.

Palavras-chave

Teologia; Literatura; Diabo.

Texto completo:

PDF