Ideia de estimativa por proporção de amostra em pesquisas eleitorais: uma experiência de sala de aula

Daniel de Jesus Silva

Resumo

Resumo: Este relato de experiência aborda questões sobre o uso de material concreto manipulável que se constitui em uma rica possibilidade como recurso didático, bem como, otimiza o aprendizado quando associado ao estudo de estatística. Partindo do pressuposto de que a aprendizagem, quando ocorre de forma dinâmica e atraente, torna-se efetiva e significativa, pretende-se evidenciar, através de uma experiência de exploração do recurso urna estatística, o quanto o ato de lecionar requer do docente atitudes criativas, incluindo o uso de recursos variados o que promove maior aproximação dos conteúdos estudados com a realidade dos alunos. Discutir-se-á algumas ideias intuitivas que fundamentam a Teoria Estatística da Estimação por proporção em se tratando de pesquisa de intenção de voto e analisar-se-á o efeito do recurso manipulável associado a conteúdos de estatística percebendo esse recurso como aliado para se atingir os objetivos que viabilizam o processo de ensino e aprendizagem, como também, para desmistificar ideias errôneas sobre métodos estatísticos empregados em pesquisas eleitorais.

Palavras-chave: Recurso manipulável; Estatística; Eleições; Aprendizagem.


Estimation idea by proportion of samples in election polls: a classroom experience

Abstract: This experience report addresses questions about the use of manipulable concrete material that constitutes a rich possibility as a didactic resource, as well optimizing learning when associated with statistics study. Assuming that when learning, occurs with dynamics and attractive ways, becomes effective and meaningful, it is intended to highlight, through an experience of exploring the resources of a statistic ballot box, how the act of teaching requires from the teacher creative attitudes, including the use of varied resources which promotes greater approximation of the contents studied with the reality of students. We will discuss some intuitive ideas that substantiate the Statistical Theory of Estimation by Proportion when it comes to voting intention research and analyze the effect of the manipulable resource associated with statistical content, realizing this resource as an ally to achieve the objectives that enable the teaching and learning process, as well as to demystify misconceptions about statistical methods employed in electoral polls.

Keywords: Resource manageable; Statistic; Elections; Learning.

Texto completo:

PDF

Referências

BRASIL. MEC. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática – 1º e 2º ciclos. Brasília: MEC, 1997.

BEARZOTI, E.; BUENO FILHO, J. S. S. Introdução à inferência estatística. 1.ed. Lavras: UFLA/FAEPE, 2000.

CAMPOS, C.R.; WODEWOTZKI, M. L. L.; JACOBINI, O. R. Educação Estatística: teoria e prática em ambiente de modelagem matemática. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

DOWNING, D.; CLARK, J. Estatística Aplicada. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

FERNANDES, J. A. et al. A simulação em Probabilidades e Estatística: potencialidades e limitações. Quadrante, Lisboa, v. XVIII, n. 1 e 2, p. 161-183, 2009.

FONSECA, J. S.; MARTINS, G. A. Curso de estatística. 6. ed. São Paulo: Atlas, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 36. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GRANDO, N.; MARASINI, S. M. Educação matemática: a sala de aula como espaço de pesquisa. 1.ed. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, 2008.

JUSTINO, M. N. Pesquisa e recursos didáticos na formação e prática docente. 1. ed. Curitiba: Ibpex, 2011.

MENDES, I. A.; SANTOS FILHO, A.; PIRES, M. A. L. M. Práticas matemáticas em atividades didáticas para os anos iniciais. 1.ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2011.

MOYER, P. S. Are we having fun yet? How teachers use manipulatives to teach mathematics. Educational Studies in Mathematics, Centreville VA, v. 47, n. 2, p. 175 – 197, 2001.

MUNIZ, J. A.; ABREU, A. R. Técnicas de Amostragem. 1.ed. Lavras: UFLA/FAEPE, 2000.

ROMANOWSKI, J. P. Formação e profissionalização docente. 3. ed. Curitiba: Ibpex, 2007.

SZENDREI, J. Concrete Materials in the Classroom. In: BISHOP, A.J. et al. (org.) International Handbook of Mathematics Education. 4. ed. Dordrecht: Springer, 1996. p. 411 – 434.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.