AUSENCIAS EN EL EXILIO EN LA OBRA LITERÁRIA “EL JARDÍN DE AL LADO” DE JOSÉ DONOSO.

Gustavo Costa

Resumo


Na década de 70, o Chile viveu um golpe militar, sendo o então presidente Salvador Allende retirado forçosamente do poder, ficando em seu lugar o general Augusto Pinochet. Artistas da época tiveram que sair do país, muitos foram para a Espanha. José Donoso, em sua obra literária “El jardín de al lado”, destaca os sentimentos e os problemas enfrentados por um casal de chilenos logo após se mudarem para a Espanha, estes tendo que lidar com as ausências de sua terra natal. O personagem principal da obra é um escritor famoso em seu país Chile, porém não consegue ter sua obra publicada na Espanha, o que faz com que cresça nele o sentimento de ausência através de lembranças de sua vida no Chile, desde a infância até a idade adulta, além de ter que enfrentar problemas atuais como a falta de dinheiro e saudades de familiares próximos, juntamente com sua esposa. A década de 60 e 70 na América latina foi marcada pela ditadura militar, logo se observa na obra a presença de cidadãos de distintos países do continente como Brasil, Argentina e Uruguai. O exílio é cruel, tendo os cidadãos um espaço a ser preenchido pelas ausências, sendo que estes se vêm obrigados a sair de seus países de origem, deixando para trás uma vida para recomeçar outra em um lugar longínquo.   

Palavras-Chave: Ditadura Militar; Exílio; Ausências; Chile. 


Palavras-chave


Ditadura Militar; Exílio; Ausências.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |