PERSPECTIVAS LITERÁRIAS DE GRANDES CONFLITOS DE NOSSA HISTÓRIA EM NETTO PERDE SUA ALMA (1997), DE TABAJARA RUAS

Gilmei Francisco Fleck, Rosmere Vivian Ottonelli, Cássia Aparecida Toledo Rodrigues

Resumo

O presente artigo propõe uma reflexão acerca da importância que o novo romance histórico apresenta no que tange aos vazios existentes nos textos que, segundo Iser (1979), são despertados no leitor especialmente pela modalidade literária. Todo romance possui tal característica, no entanto, é incontestável que, por meio da leitura do gênero em questão, o leitor é impulsionado a preencher tais vazios muito além de suas perspectivas; o faz, sim, por meio de pesquisa em fontes históricas, ou mesmo por meio de leituras de outras obras com a mesma temática. Isto ocorre no decorrer da leitura ou mesmo quando esta é finalizada, pois o leitor questiona todo o tempo, dentre os fatos narrados, o que se trata de ficção, o que é fato histórico, qual a intenção das vozes narrativas na construção do discurso. O leitor que se entrega à leitura de um novo romance histórico exige muito de si e de outras fontes para chegar à catarse defendida por Jauss (1979) em seus textos sobre a Estética da Recepção. A análise aqui proposta centrar-se-á na obra Netto perde sua alma (1997), de Tabajara Ruas, cuja temática versa sobre várias revoltas das quais participou o General Netto, dentre elas a Revolução Farroupilha (1835-1845) e a Guerra do Paraguai (1864-1870). Buscamos evidenciar quais são os recursos escriturais utilizados para a configuração do personagem e seus efeitos nesse processo de leitura da história pela ficção.

Palavras-chave

Novo romance histórico latino-americano; processo de leitura; Netto perde sua alma (1997); Estética da Recepção

Texto completo:

PDF