O DESPERTAR DOS SENTIDOS NA LEMBRANÇA DE HÉLIO SEREJO EM O TERERÉ QUE ME INSPIRA

Hélia Marcia Kovalski Castilho Teno, Paulo Bungart Neto

Resumo


O artigo aborda textos do escritor sul-mato-grossense Hélio Serejo, contidos em seu livro O tereré que me inspira (1986). Com o objetivo de formular uma análise crítica pelo viés dos estudos memorialísticos e da história, uma vez que os textos de Serejo têm como referencial a história pautada nas memórias coletiva e individual, destacando-se a erva-mate nessas narrativas e tendo-a como protagonista em seus relatos, buscaremos compreender o conjunto da vasta obra em prosa de Hélio Serejo com a perspectiva da memória e da inter-relação entre os discursos da literatura e da história. O trabalho ancora-se nos estudos sobre memória e nas teorias da história, bem como nas ideias de teóricos como Le Goff (2003) e Halbwachs (2006), dentre outros.

Palavras-chave


Hélio Serejo; Memória; História; Erva-mate.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Revista de Literatura, História e Memória

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |