A CONFIGURAÇÃO DA MULHER E A VERTENTE HUMANA PRESENTE NA POÉTICA DE BALZAC E BAUDELAIRE

Simone Maria Martins, Silvio Cesar Masquieto

Resumo

O tema proposto dialoga, por meio dos estudos comparados, em duas grandes referências da literatura moderna, na primeira obra A Mulher de Trinta Anos (1844), um romance de Honoré de Balzac, na segunda obra As Flores do Mal (1857), na poesia de Charles Baudelaire. No primeiro momento, será apresentado um encontro entre ambos escritores, dos quais pertencem ao mesmo cenário histórico, geográfico e literário europeu, mais precisamente a França do século XIX. Num segundo momento serão destaques a presença da mulher e a condição humana, traços marcantes e que mais os aproximam. Contudo para isso, propõe-se discorrer da análise de excertos da obra de Balzac, quais pertencem aos 89 romances que fazem parte da composição de sua grande obra A Comédia Humana (1845). Na sequência encontra-se em destarte excertos de alguns poemas de Baudelaire, quais tragam a presença da alegoria humana, que expressem sua opção pela negatividade, como categoria presente na literatura do século XIX. Nas considerações finais, destaca-se o niilismo presente nas obras em análise, um dos aspectos principais destes escritores, revelando em suas palavras, a negação e o desencantamento com o mundo social.

Palavras-chave

Poética. Melancolia. Negatividade. Romance Moderno.

Texto completo:

PDF