ENTRE NARRATIVAS LITERÁRIAS E HISTÓRICAS: UMA APRESENTAÇÃO DO ROMANCE DESDE QUE O SAMBA É SAMBA, DE PAULO LINS

Haydê Costa Vieira, Ricardo Magalhães Bulhões

Resumo

Ancorado em contribuições de Esteves (2008, 2010), no que se refere à análise do romance histórico brasileiro contemporâneo; nos estudos de Pesavento (2000) e Freitas (1989), para a abordagem das relações que se estabelecem entre Literatura e História; nos pressupostos teóricos de Lira Neto (2017), Franceschi (2010), Lopes e Simas (2017), acerca da investigação do samba do Largo do Estácio; e em Silva (2005), a respeito da história do candomblé e umbanda, este trabalho tem como objeto de análise as manifestações históricas presentes no romance Desde que o samba é samba (2012), de Paulo Lins. A escolha do tema decorreu do interesse em estudar uma obra literária que se caracteriza por fazer uma releitura crítica da história do samba, com personalidades e fatos históricos. Para a realização deste estudo, elegeu-se o procedimento básico da pesquisa bibliográfica. Por meio da análise do romance, cuja trama ocorre entre os anos de 1928 e 1929, percebe-se que o autor Paulo Lins se ampara em diversas pesquisas para a sua produção. Dessa maneira, compreende-se que Desde que o samba é samba se trata de um romance histórico o qual estabelece diálogo com ocorrências históricas relacionadas ao final da segunda década do século XX.

Palavras-chave

Romance Histórico; Candomblé e Umbanda; Samba; Largo do Estácio; Paulo Lins.

Texto completo:

PDF