REGIMES DE SI: DITADURA E VIOLÊNCIA EM “NA TEIA DO SOL”

Andressa Estrela Lima

Resumo


Este artigo apresenta uma reflexão sobre a literatura brasileira contemporânea que trata da ditadura militar no Brasil. Para tal, temos como objeto o livro Na Teia do Sol (2004) de Menalton Braff, que a partir de uma narrativa de ensimesmamento, negocia significados para o exercício da violência no passado e no presente, tanto a partir do narrador personagem, quanto do cenário político social brasileiro. A análise tem como fio condutor o que decidimos chamar de regimes de si do protagonista, que nos permite perceber e dialogar com outros temas dentro da obra, como a tortura e o trauma. O caminho que leva a personagem principal André a se converter em Tito é também o que nos guiou na leitura do romance, que cria, a partir de um sujeito ficcional complexo, toda uma trama do que não pode ser dita, ou elaborada, por meio de um discurso fragmentário e repleto de vaivéns, assim mesmo como um sujeito figurado que testemunha e representa esse terror.

Palavras-chave


regimes de si; ditadura militar; violência; Menalton Braff.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2020 Revista de Literatura, História e Memória

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |