A descoberta da América: choques culturais – uma confluência na literatura, história e cinema

Gilmei Francisco Fleck, Toni Juliano Bandeira

Resumo

Neste trabalho tomamos como objetos de análise o filme “1492: A conquista do paraíso”, de Ridley Scott e fragmentos do Diário de bordo de Cristóvão Colombo (1492-1493). Num primeiro momento realizar-se-á uma reflexão acerca das contribuições que o cinema pode oferecer quando é utilizado pelo meio educacional, as diferentes possibilidades de interpretação que proporciona e os problemas que enfrenta em levar à sociedade o real conhecimento, já que é movido por um sistema que privilegia a busca de capital financeiro. Apontar-se-á alguns aspectos que estabeleçam uma relação entre as representações cinematográficas e a literatura, buscando-se entender de que maneira as releituras que o cinema faz da literatura e da história podem auxiliar na construção do conhecimento. Tomando-se os objetos em estudo, apontar-se-á neles alguns aspectos referentes à chegada da frota espanhola, comandada por Colombo, às terras americanas, e alguns atos que desencadeariam graves consequências para as civilizações pré-colombianas. Neste sentido, serão trabalhados alguns fatores que interferiram substancialmente no modo de vida das sociedades que aqui viviam antes da chegada dos europeus, e como esses fatores atuaram na configuração da destruição cultural que se seguiria no continente americano. Assim, buscar-se-á mostrar também a importância de que no processo educacional sejam trabalhados os elementos culturais formadores da atual sociedade americana, apontando momentos no filme de Ridley Scott em que estes elementos adquirem uma significação singular; para que se possa compreender melhor a história que se vive e, deste modo, passar a pensar mais criticamente as ações que movem a sociedade.

Palavras-chave

Literatura hispanoamericana e cinema; Diário de bordo (1492-1493); “1492: A conquista do paraíso”; descoberta da América.

Texto completo:

PDF