MEMÓRIA, IDENTIDADE, IMAGENS EM GRACILIANO RAMOS

Marcos Antônio Ferreira Rocha

Resumo


Neste artigo apresentamos a Teoria da Memória a partir dos ensaios de Hénry Bergson e da narrativa autobiográfica “Infância” de Graciliano Ramos, num estudo interdisciplinar onde memória e identidade perpassam os capítulos desse romance memorialístico. Percebe-se também a seleção de imagens e a elaboração de uma identidade individual e coletiva. Assim, o imaginário de Graciliano, evoca tanto as concepções individuais de identidade como serve para mostrar a subjetividade da coletividade onde o autor/ narrador está inserido.


Palavras-chave


Hénry Bergson; Teoria da Memória; Graciliano Ramos; Identidade; Romance.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |