Análise de agrupamento de genótipos de girassol cultivados em condição de polinização livre e restringida

Emerson Dechechi Chambó, Arlindo Fabrício Correia, Fernando da Cunha, Regina Conceição Garcia, Newton Tavares Escocard de Oliveira, Edmar Soares de Vasconcelos, Nardel Luiz Soares da Silva

Resumo

O objetivo deste trabalho foi obter a divergência genética de oito genótipos de girassol pelo método de agrupamento UPGMA usando a distância generalizada de Mahalanobis. O delineamento experimental empregado foi o de blocos casualizados completos em esquema de parcelas subdivididas, com quatro repetições. Para tanto, fez-se uso de sete caracteres agronômicos relacionados à produção, sendo também determinada a importância relativa de caracteres na discriminação da variação fenotípica. Essas determinações foram realizadas em condição de polinização livre e de polinização restringida. Os caracteres analisados foram: massa de capítulo, massa de 1000 aquênios, número de aquênios por inflorescência, vigor, germinação, teor de óleo e rendimento de grãos. A dissimilaridade genética foi estimada pelo método de agrupamento UPGMA usando a distância genética de Mahalanobis, enquanto a contribuição relativa de cada caractere fenotípico para a divergência foi avaliada pelo método de Singh. Em ambos os testes constatou-se variabilidade genética entre os oito genótipos de girassol para os sete caracteres agronômicos avaliados. Houve diferença entre os principais caracteres que contribuíram para explicar a dissimilaridade genética entre os genótipos de girassol em condição de polinização livre e restringidos aos polinizadores. Agrupamentos divergentes foram encontrados entre os genótipos quando cultivados em condição de polinização livre e restringidos aos polinizadores.

Palavras-chave

: análise multivariada, Apis mellifera, D2 análises, importância de caracteres, melhoramento genético

Texto completo:

PDF