Acúmulo de forragem e características morfogênicas e estruturais de Axonopus aureus no cerrado de Roraima

Newton de Lucena Costa, Anibal de Moraes, Alda Lúcia Gomes Monteiro, Paulo César de Faccio Carvalho, João Avelar Magalhães

Resumo

O efeito da idade de rebrota (21, 28, 35, 42, 49, 56, 63 e 70 dias) sobre a produção de forragem e características morfogênicas e estruturais de Axonopus aureus, durante o período chuvoso, foi avaliado em condições de campo. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com três repetições. As avaliações foram realizadas no período de junho a agosto de 2009. O aumento da idade de rebrota resultou em maiores rendimentos de forragem, taxa absoluta de crescimento, número de perfilhos planta-1, número de folhas perfilho-1, tamanho médio de folhas, área foliar e taxas de expansão e senescência foliar. As relações entre idades de rebrota e o rendimento de matéria seca e a taxa absoluta de crescimento da gramínea foram ajustadas ao modelo quadrático de regressão, sendo os máximos valores registrados aos 62,7 e 49,4 dias de rebrota, respectivamente. As taxas de crescimento da cultura, taxa de crescimento relativo, taxas de aparecimento de perfilhos e de folhas foram inversamente proporcionais às idades de rebrota. Visando conciliar produtividade de forragem com a maximização das características morfogênicas e estruturais da gramínea, o período de utilização mais adequado de suas pastagens situa-se entre 49 e 56 dias de rebrota.

 

Palavras-chave

Crescimento; perfilhamento; rebrota.

Texto completo:

PDF