Deficiência induzida de nitrogênio, fósforo e potássio em mudas de lulo

Daniel Lucas Magalhães Machado, Ariel Santivañez Aguilar, Roberta Camargos de Oliveira, Diego Tolentino de Lima

Resumo

Lulo (Solanum quitoense), espécie utilizada na alimentação humana e medicina natural, apresenta potencial de expansão em condições climáticas brasileiras. No entanto, mais pesquisas devem ser realizadas, com o intuito de fornecer aos produtores informações quanto ao melhor manejo da cultura. Neste sentido, objetivou-se avaliar o efeito da omissão dos nutrientes N, P e K sobre o crescimento, desenvolvimento e o estado nutricional das plantas de Lulo, visando o manejo nutricional de mudas. As mudas foram produzidas a partir de sementes em sacos plásticosem casa de vegetação, na Universidade Federal de Viçosa. Após quatro meses, as mudas foram transferidas para solução nutritiva completa e soluções preparadas com a supressão de N, P e K. O delineamento foi inteiramente casualizado, com quatro repetições, sendo duas plantas por parcela. As soluções foram renovadas a cada duas semanas e o volume, completado diariamente com água deionizada, mantendo-se o pH em torno de 5,5 ± 0,5. Os teores de N, P e K na parte aérea do tratamento completo e com omissão dos nutrientes foram, respectivamente, N = 32,20 e 18,24; P = 3,27 e 1,05; K = 56,88 e 16,91 g kg-1. O desenvolvimento inicial das plantas foi afetado pela omissão de todos os nutrientes, sendo os sintomas condizentes com o padrão apresentado pela maioria das culturas. Os danos mais intensos e imediatos foram observados na ausência de N, causando, inclusive, apodrecimento das raízes secundárias e paralisação na emissão de novas raízes.

Palavras-chave

deficiência nutricional; macronutrientes; Solanum quitoense.

Texto completo:

PDF