Atividade antimicrobiana de extratos de vegetais sobre desenvolvimento de Macrophomina phaseolina em métodos de esterilização

Eloisa Lorenzetti, Anderson Luis Heling, Jeferson Carlos Carvalho, Juliana Yuriko Habitzreuter Fujimoto, Vanessa de Oliveira Faria, José Renato Stangarlin, Odair José Kuhn

Resumo

Com o intuito de buscar novas medidas de proteção de plantas contra doenças, a agricultura alternativa através do uso de plantas medicinais vem sendo muito estudada. O estudo teve como objetivo avaliar o efeito do extrato de alecrim (Rosmarinus officinalis), cravo-da-índia (Syzygium aromaticum), canela (Cinnamomum zeylanicum), alho (Allium sativum) e guaco (Mikania glomerata), submetido a diferentes métodos de esterilização (banho-maria a 65ºC por 1 h, banho-maria a 85ºC por 1 h, autoclave a 110ºC por 20 min e autoclave a 120ºC por 20 min), no crescimento micelial da Macrophomina phaseolina causador da podridão carvão em diversas culturas. Foi encontrada a área abaixo da curva de crescimento micelial para cada forma de esterilização nos extratos utilizados. Os extratos de alecrim, alho e cravo-da-índia possuem potencial antifúngico para o patógeno M. phaseolina verificado para o método de esterilização: autoclavagem a 120 ºC por 20 minutos, banho maria a 65 ºC por 1 h, banho maria a 85 ºC por 1 h, respectivamente.

Palavras-chave

Controle alternativo, Crescimento micelial, Podridão carvão.

Texto completo:

PDF