Características produtivas de cultivares de tomateiro italiano em função de tipos de poda

Graciela Maiara Dalastra, Márcia De Moraes Echer, Pablo Wenderson Ribeiro Coutinho, Élcio Silvério Klosowski

Resumo

Em virtude da importância sócio-econômica a nível mundial que o tomateiro possui, faz-se necessário o desenvolvimento de técnicas de condução da planta que facilite os tratos culturais sem comprometer a produtividade e a qualidade dos frutos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de tipos de poda nas características produtivas de frutos de tomate italiano. O delineamento experimental adotado foi blocos casualizados, em esquema fatorial 2 x 5, contendo quatro repetições. O primeiro fator constitui-se por duas cultivares de tomate (Giuliana e Tyna) e o segundo, pelos tipos de poda, sendo: (1) apenas a haste principal; (2) haste principal + haste secundária emitida imediatamente abaixo do primeiro cacho; (3) as duas primeiras hastes secundárias que surgirem na planta com o desponte da haste principal; (4) as quatro primeiras hastes secundárias que surgirem na planta com o desponte da haste principal e (5) haste principal e mais três hastes secundárias emitidas abaixo do primeiro cacho. Os frutos foram avaliados quanto ao diâmetro transversal e longitudinal, biomassa média, estimando-se a produção por planta. Também foi determinado sólidos solúveis, acidez titulável, pH, ratio e teor de ácido ascórbico. A produção da cultivar Giuliana foi 32% superior que da cultivar Tyna. Em relação ao tipo de poda não houve diferença entre os tratamentos para as características relacionadas ao tamanho dos frutos e área foliar. Para o teor de sólidos solúveis o tipo de condução 2 e 3 apresentaram os maiores valores (5,5 e 5,37°Brix, respectivamente). Os frutos que apresentaram a maior quantidade de vitamina C foi o tratamento 2 (31,81 mg 100 g-1).

Palavras-chave

Solanum lycopersicum L.; características físico-químicas; manejo cultural; poda apical.

Texto completo:

PDF