Adequação da metodologia do teste de envelhecimento acelerado para sementes de feijão mungo-verde

Edvan Costa da Silva, Luís Augusto Batista de Oliveira, Natália Cássia de Faria Ferreira

Resumo

O presente trabalho teve como objetivo avaliar os diferentes procedimentos do teste de envelhecimento acelerado com e sem solução salina para determinar o potencial fisiológico de sementes de feijão mungo-verde (Vigna radiata). O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em arranjo fatorial de 5 x 3, com 5 períodos de exposição (24, 48, 72, 96 e 120 h), 3 temperaturas (41, 43 e 45°C) e 4 repetições. Foram realizados os testes de envelhecimento acelerado tradicional e com solução de NaCl. O teste de envelhecimento acelerado tradicional foi realizado pelo método gerbox, com 40 mL de água destilada/gerbox nas temperaturas de 41, 43 e 45°C, por períodos de 24, 48, 72, 96 e 120 h. Em seguida, as sementes foram submetidas ao teste de germinação contendo 4 repetições de 50 sementes em cada tratamento. Em relação aos dados obtidos no teste de envelhecimento acelerado pelo método tradicional houve interação entre os períodos de exposição e as temperaturas. No teste com solução salina, os períodos de exposição às temperaturas não apresentaram interações. No envelhecimento acelerado tradicional, ocorre redução no vigor das sementes de feijão mungo-verde quando submetidas aos maiores períodos de exposição às temperaturas.

Palavras-chave

germinação, potencial fisiológico, temperatura, Vigna radiata.

Texto completo:

PDF