Agente etiológico e sintomas da podridão do colo em cladódios de pitaias

João Pedro Maia, Ana Claudia Costa, Luciane Cristina Roswalka, Rodrigo de Góes Esperon Reis

Resumo

As pitaias são cactáceas frutíferas que têm ganhado relevância no cenário da fruticultura nacional como uma alternativa para diversificação da produção de frutas. Apesar disso, os problemas fitossanitários têm preocupado os produtores brasileiros. Em duas áreas experimentais da Universidade do Estado de Mato Grosso, Campus de Nova Xavantina, observou-se a incidência de podridão do colo em 100% das pitaias vermelhas e em 42% em pitaias vermelhas e amarelas. Embora a ocorrência de doenças venha se destacando como fator limitante para produção de pitaias, os estudos sobre o manejo fitossanitário da cultura no país ainda são escassos. Diante do exposto, objetivou-se com o presente trabalho identificar o agente etiológico e descrever a evolução dos sintomas da podridão do colo em cladódios de pitaias amarelas e vermelhas em Nova Xavantina (MT). No pomar experimental do Campus de Nova Xavantina da Universidade do Estado de Mato Grosso foram observadas lesões no colo de plantas de pitaias. O material sintomático foi coletado e enviado para a Clínica Fitossanitária do Departamento de Fitopatologia da Universidade Federal de Lavras para diagnose do agente patogênico. A descrição dos sintomas foi realizada por meio de registro fotográfico semanal das lesões. A partir do laudo fitossanitário pode-se diagnosticar como possível causador da podridão no colo das plantas de pitaia os fungos do gênero Rhizopus. A podridão no colo apresentou inicialmente lesão clorótica de cor amarelo intenso que evoluiu para a cicatrização da lesão sem a necessidade de controle fitossanitário.

Texto completo:

PDF