A pecuária de corte no Paraná – desenvolvimento, caracterização e o papel das pastagens

M. W. Canto, C. C. Jobim, M. S. Pagliarini, E. J. Pancera Júnior, A. Barth Neto, E. P. Introvini, P. R.L. Zanfolin, C. W. Ferreira, T. M. Mativi, G. M. Almeida, B. Vizzoto

Resumo


Esta revisão procura analisar, para o caso do estado do Paraná, Brasil, o desenvolvimento  e as características da pecuária de corte, bem como a distribuição, o papel e o potencial produtivo das pastagens. As alterações nas áreas de pastagens são discutidas. A pecuária de corte no Paraná está baseada quase que no uso  exclusivo de pastagens utilizadas sob pastejo. O clima no estado é o determinante para a ampla adaptação e a maior utilização de gramíneas que crescem nas estações da primavera e verão. As gramíneas forrageiras, além de prover alimento (pasto, feno, silagem) para a indústria bovina,  apresentam importante papel paisagístico, na manutenção da flora campestre e na conservação do solo e da vida selvagem. O potencial de produção animal de forrageiras de verão e de inverno utilizadas de modo intensivo é alto. Muitas pesquisas com pastagens devem ainda ser realizadas. O reconhecimento do papel e do potencial das pastagens é de suma importância para o desenvolvimento da pecuária de corte desse estado do Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.18188/sap.v9i3.5257
 |  Incluir comentário

Revista Scientia Agraria Paranaensis

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

ISSN: 1983-1471 - (versão eletrônica)

Centro de Ciências Agrárias

Rua Pernambuco 1777 — Caixa Posta 91

CEP 85960-000 Marechal Cândido Rondon — Paraná — Brasil

E-mail: revista.sap@unioeste.br

Fone: (45) 3284 7901