Avaliação agronômica de cultivares e clones de mandioca em área irrigada no Norte de Minas Gerais.

Adriana Madeira Santos Jesus, Samuel Pereira Carvalho, Telde Natel Custódio, Polyanna Mara de Oliveira, Carlos Nick Gomes

Resumo

Originária da América do Sul, a mandioca constitui um dos principais alimentos energéticos para cerca de 500 milhões de pessoas, sobretudo nos países em desenvolvimento, onde é cultivada em pequenas áreas com baixo nível tecnológico. Mais de 80 países produzem mandioca, sendo que o Brasil participa com mais de 15% da produção mundial. O ensaio foi conduzido em área da Epamig-URENM localizada no Projeto Jaíba, região Norte do Estado de Minas Gerais. Os tratamentos foram 10 clones de mandioca, sendo cinco clones novos (UFLA) e cinco comerciais (cultivares). Dos clones comerciais três são cultivados no Sul e dois são cultivados na região Norte de Minas Gerais. Foi adotado o delineamento em blocos casualizados com três repetições. As parcelas foram constituídas por três linhas com cinco plantas cada, dispostas no espaçamento de 1,0 m x 0,6 m. A adubação foi a recomendada para a cultura de acordo com a análise de solo. Os clones avaliados apresentaram bom desempenho na região do projeto de irrigação Jaíba sendo que alguns tiveram produção de raízes tuberosas 47,95%, em média, maior que as cultivares cultivadas na região pelos produtores. Nessa região a mandioca pode ser colhida, com bons resultados, aos seis meses pós-plantio.

Palavras-chave

Cultivares, Índice de colheita, Manihot esculenta

Texto completo:

PDF