Agricultura convencional versus sistemas agroecológicos: modelos, impactos, avaliação da qualidade e perspectivas

Jean Sérgio Rosset, Gustavo Ferreira Coelho, Marcelo Greco, Leonardo Strey, Affonso Celso Gonçalves Junior

Resumo

A agricultura mundial é muito representativa no que se diz respeito à utilização de áreas do planeta. Esta revisão objetivou avaliar os principais impactos negativos da agricultura convencional e relação aos modelos mais ecológicos de produção, evidenciando as formas de avaliação e possível substituição de um sistema tradicional por um sistema agroecológico. O modelo de agricultura convencional tradicional utilizado atualmente requer grandes quantidades de insumos externos, como fertilizantes inorgânicos e agrotóxicos para sua manutenção e, em muitos casos, esses insumos são utilizados de maneira inadequada, gerando riscos potenciais ao meio ambiente. Esse impacto ambiental causado pela agricultura convencional, além do aumento do uso de recursos naturais não renováveis, vem fazendo com que alternativas de substituição deste modelo atual sejam inseridas, como os modelos agroecológicos, dentre eles o cultivo orgânico. Vários são os indicadores que avaliam a qualidade dos diferentes sistemas de manejo adotados na agricultura atual, sendo importantes para validação ou não de novos métodos a serem empregados no cultivo agrícola. Existem grandes discussões a respeito das mudanças nos sistemas produtivos, de um lado o fator econômico e do outro as questões ambientais. A partir disso, o que se evidencia na agricultura atual, é a necessidade de mudança do sistema, buscando-se formas de agricultura mais sustentáveis, principalmente em relação aos custos ambientais causados pela agricultura intensiva e convencional.

Palavras-chave

agroecologia, poluição ambiental, sustentabilidade agrícola.

Texto completo:

PDF