ELABORAÇÃO DE CRITÉRIOS DE ANÁLISE PARA APLICATIVOS DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS COMO RECURSOS DIDÁTICOS AO ENSINO FORMAL

Gabriela Marçal NUNES, Juliana Cristina Faggion BERGMANN

Resumo

Ainda que aplicativos com objetivos de aprendizagem de línguas estrangeiras sejam populares e conhecidos por proporcionar ao usuário um aprendizado individual e personalizado, eles também podem tornar-se recursos didáticos no ensino formal, com o intuito de auxiliar o professor e seu grupo a alcançarem seus objetivos. Entretanto, a grande demanda e existência de aplicativos com esse fim pode tornar a escolha do professor um grande desafio. Por essa razão, o presente artigo apresenta critérios de análise de aplicativos de LE com base no documento Marco Común Europeo de Referencia (2002) e outros autores, com a finalidade de auxiliar o professor na avaliação e escolha do aplicativo mais adequado. Como resultado, o professor poderá avaliar pontos dos aplicativos que vão além da aquisição linguística, como a sua interface gráfica, o desenvolvimento da habilidade comunicativa, questões de acessibilidade, interatividade e feedback.


Referências:

CONSEJO DE EUROPA (2002). Marco Común Europeo de Referencia para lenguas: aprendizaje, enseñanza, evaluación (MCER). Madrid: Anaya (Disponível em: http://cvc.cervantes.es/obref/marco).

CRESCENZI, Lucrezia; GRANÉ, Mariona. Ficha de Análisis del contenido y el diseño interactivo de Apps para Niños. Barcelona: Comunicar, 2016

GAVARRI, Sandra Lorena. El aprendizaje de lenguas extranjeras mediado por las TIC: Aprender Inglés con Duolingo. In: El Toldo de Astier, 7 (12). 2016. En Memoria Académica. P. 56-65

GÓMEZ, Ángel I. Pérez. Educação na Era Digital: A escola educativa. Porto Alegre: Penso, 2015. 192 p.

LEFFA, Vilson J. A aprendizagem de línguas mediada por computador. In: Vilson J. Leffa. (Org.). Pesquisa em linguística aplicada: temas e métodos. Pelotas: Educat, 2006a, p. 11-36.

LEFFA, Vilson J.; IRALA, Valesca B. O ensino de outra(s) língua(s) na contemporaneidade: questões conceituais e metodológicas. In: LEFFA, Vilson J.; IRALA, Valesca B. Uma Espiadinha na Sala de Aula: Ensinando Línguas Adicionais no Brasil. Pelotas: Educat, 2014. p. 21-48.

LEFFA, Vilson J. Interação simulada: um estudo da transposição da sala de aula para o ambiente virtual. In: LEFFA, Vilson J. A interação na Aprendizagem das Línguas. 2. Ed. Pelotas: Educat, 2006b. Cap. 8. P. 175-218.

MOURA, Adelina. Aplicativos para aprendizagem baseada em projetos. In: COUTO, Edvaldo; PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa. App-Learning: Experiências de pesquisa e formação. Salvador: Edufba, 2016. Cap. 9. p. 163-178.

OLIVEIRA, Carloney Alves de; MERCADO, Luís Paulo Leopoldo. Ensino de matemática utilizando o aplicativo QR Code no contexto das tecnologias móveis. In: COUTO, Edvaldo; PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa. App-Learning: Experiências de pesquisa e formação. Salvador: Edufba, 2016. Cap. 12. p. 211-226.

PAIVA, Vera Lúcia Menezes de Oliveira e. Feedback em ambiente virtual. In: LEFFA, Vilson J. A interação na Aprendizagem das Línguas. 2. Ed. Pelotas: Educat, 2006. Cap. 9. P. 219-254.

PORTO, Cristiane de Magalhães; OLIVEIRA, Kaio Eduardo de Jesus; GAMA NETO, Edilberto Marcelino da. Realidade aumentada e a potencialidade educacional do aplicativo MAR. In: COUTO, Edvaldo; PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa. App-Learning: Experiências de pesquisa e formação. Salvador: Edufba, 2016. Cap. 7. p. 127-144.

SANTAELLA, L. Desafios da ubiqüidade para a educação. Novas Mídias e o Ensino Superior, São Paulo, p 19-29, abr. 2013

SANTOS, Edméa; MADDALENA, Tania Lucía; ROSSINI, Tatiana Stofella Sodré. Diário Hipertextual Online de Pesquisa: uma experiência com o aplicativo Evernote. In: COUTO, Edvaldo; PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa. App-Learning: Experiências de pesquisa e formação. Salvador: Edufba, 2016. p. 93-108.

SONEGO, Anna Helena Silveira; BEHAR, Patrícia Alejandra. M-learning: reflexões e perspectivas com o uso de aplicativos educacionais. In: Nuevas ideias em Informatica Educativa: memorias XVII Congreso Internacional de Informática Educativa, TISE. Santiago: Universidade do Chile, 2015. p. 521-526. v. 8.

SOUZA, Joana Dourado França de; COUTO, Edvaldo Souza. Snapchat: viver e aprender em meio a mensagens autodestrutivas. In: COUTO, Edvaldo; PORTO, Cristiane; SANTOS, Edméa. App-Learning: Experiências de pesquisa e formação. Salvador: Edufba, 2016. Cap. 1. p. 23-37.

UNESCO, Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência, e a Cultura. Diretrizes de Políticas da UNESCO para a aprendizagem móvel. França, 2013.

 

 

Recebido em 18-01-2019.

Aceito em 22-042019.

Palavras-chave

Aprendizagens Móveis. Aplicativos de línguas estrangeiras. Análise de aplicativos.

Texto completo:

PDF