A AMBIGUIDADE LEXICAL E A CRISE ORÇAMENTÁRIA DO BRASIL

Elias Garcia, Jorge Bidarra

Resumo

Desde os primórdios, a Contabilidade teve como finalidade gerar informação útil que reduza as incertezas e aumenta o nível de assertividade das decisões dos gestores usuários dos seus relatórios no processo de comunicação dos fatos contábeis e administrativos. Inúmeros trabalhos têm sido publicados no sentido de mostrar a Contabilidade como um sistema de informação confiável e segura. Poucos, no entanto, são aqueles que debatem e se atêm ao problema de compreensão dos termos e expressões utilizados, seja por parte do profissional ou do cliente-usuário interno ou externo. Dado esse cenário, os principais objetivos do presente artigo são trazer para o debate a questão da ambiguidade lexical no que se refere a terminologia utilizada nos relatórios da Contabilidade, mais especificamente, chamar a atenção para alguns aspectos semânticos que podem distorcer o significado da informação no momento que o usuário necessita tomar uma decisão gerencial. Nesse sentido, foi apresentado aqui um estudo teórico a respeito da proposta orçamentária encaminhada ao congresso nacional pela presidência da república, visando esclarecer alguns pontos obscuros que pairam no momento da interpretação da terminologia utilizada, principalmente confrontando com os significados utilizados na contabilidade empresarial, no sentido de apresentar a ocorrência da ambiguidade lexical representada pela homonímia e polissemia. Apesar do assunto parecer um tanto técnico, trabalhamos apenas os aspectos  conceituais, visando facilitar o entendimento por todos os leitores, quer especialistas da área ou não.

Palavras-chave

Disclosure; Informação; Gestão Pública; Orçamento

Texto completo:

PDF