Pelo direito e orgulho de ser heterossexual no terceiro domingo de dezembro

Luiz Augusto Ely

Resumo

Este texto tem como propósito abordar o livro Pelo direito e orgulho de ser heterossexual no terceiro domingo de dezembro, de autoria de Héliton Diego Lau, em que o autor busca analisar a justificativa de dois projetos de lei com vistas à instituição do Dia do Orgulho Heterossexual. Para empreender a análise, são estabelecidas considerações acerca do binarismo em língua portuguesa, bem como um panorama de como a (homo)sexualidade era percebida e vivenciada nas antigas civilizações, além de trazer para o debate a visão da (homo)sexualidade a partir de um recorte das ciências médicas e sociais e, ainda, em que medida se configuraram os discursos acerca da sexualidade na contemporaneidade. Lau elabora ainda uma reflexão de como os corpos e sua apresentação física se relacionam com a identidade de gêneros dos indivíduos, e, também, de como a questão de identidade de gêneros e sexualidades é abordada em documentos oficiais de ensino no Brasil e no Estado do Paraná. No sentido de estabelecer um contraponto, e corroborar a análise apresentada no livro de Lau, mencionamos também a abordagem de Angenot e de sua concepção acerca do conceito de “discurso social”, uma vez que se propõe a estabelecer discussões que possam ressaltar a presença constante do desentendimento entre os homens e indicam seu papel e seu valor na construção dos laços sociais.

Palavras-chave

Discurso social; História; Identidade; Sexualidade.

Texto completo:

PDF