A PRODUÇÃO PARA AUTOCONSUMO NA AGRICULTURA FAMILIAR: UMA ANÁLISE A PARTIR DA TEORIA DA SOCIEDADE DE RISCO

Catia Grisa

Resumo

O artigo discute a produção de alimentos para autoconsumo como
uma estratégia dos agricultores familiares para minimizarem sua exposição
a riscos alimentares, decorrentes da utilização de agroquímicos no processo
produtivo e do consumo de alimentos industrializados com acréscimos na
sua composição (conservantes, aromatizadas etc.). Existe a percepção de
que o consumo de alimentos industrializados ou alimentos in natura, adquiridos
via mercados, podem acarretar risco alimentar. Por sua vez, a produção
para autoconsumo geralmente é isenta de agrotóxicos, garantindo o consumo
de alimentos ‘sem venenos’ e a tranquilidade de saber o que está sendo
consumido. Os resultados derivam de investigação procedida em quatro
municípios do Rio Grande do Sul, onde foram aplicados 238 questionários e
realizadas 35 entrevistas. Inicialmente, o artigo discute o tema da ‘Sociedade
de Risco’ e, posteriormente, debate a relevância do autoconsumo no contexto
de tais sociedades.

Palavras-chave

Riscos, Agricultura Familiar e Autoconsumo

Texto completo:

PDF