PROCESSO HISTÓRICO DE OCUPAÇÃO DO MORRO SANTA TEREZINHA, EM FORTALEZA: RISCO AMBIENTAL VERSUS URBANIZAÇÃO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.48075/geoq.v11i2.18318

Palavras-chave:

Urbanização, Áreas de risco, Morro Santa Terezinha

Resumo


O crescimento urbano desordenado na cidade de Fortaleza contribuiu para o surgimento das áreas de risco ambiental. O presente artigo trata especificamente do Morro Santa Terezinha, localizado entre os bairros Vicente Pinzón e Cais do Porto e faz parte de uma das 89 áreas de risco da capital. O objetivo da pesquisa é avaliar a influência da urbanização para as ocorrências de desastres ambientais na localidade. A análise foi baseada em relatos de episódios coletados na hemeroteca do jornal O Povo e na Defesa Civil de Fortaleza. Verificou-se que as construções irregulares nas encostas do morro vinculadas aos períodos de chuvas intensas ocasionou o aumento dos riscos naturais na área. A partir desse resultado conclui-se que, as ocorrências de desastres ambientais naturais aumentaram à medida que a urbanização se expandiu afetando diretamente a população que reside na localidade.

Biografia do Autor

Juliana Moreira dos Santos, Universidade Estadual do Ceará

Geógrafa pela Universidade Estadual do Ceará – UECE.

Davis Pereira de Paula, Universidade Estadual do Ceará

Universidade Estadual do Ceará, Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE, Mestrado Acadêmico em Geografia da UVA.

Downloads

Publicado

24-10-2018

Como Citar

SANTOS, J. M. dos; PAULA, D. P. de. PROCESSO HISTÓRICO DE OCUPAÇÃO DO MORRO SANTA TEREZINHA, EM FORTALEZA: RISCO AMBIENTAL VERSUS URBANIZAÇÃO. Geografia em Questão, [S. l.], v. 11, n. 2, 2018. DOI: 10.48075/geoq.v11i2.18318. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/geoemquestao/article/view/18318. Acesso em: 4 jul. 2022.

Edição

Seção

Artigos