[1]
M. C. Galli, “UM ESTUDO DE CASO SOBRE O APAGAMENTO DOS RÓTICOS EM INFINITIVOS”, Trav., vol. 9, nº 1, ago. 2015.