A “APERCEPÇÃO TRANSCENDENTAL” KANTIANA FRENTE AO EU PURO FICHTEANO: DO CRITICISMO AO IDEALISMO ALEMÃO

Matheus dos Reis Gomes

Resumo


RESUMO

O presente trabalho consiste, em síntese, analisar as concepções kantianas acerca da epistemologia e, mais precisamente, da constituição da tese sobre o criticismo e, não menos importante, da formulação da estrutura conceitual da “apercepção transcendental”, isto é, do Eu penso na sua filosofia. Frente às problemáticas da filosofia moderna, relacionar o criticismo kantiano ao advento do idealismo alemão requer trazer à tona um dos filósofos principais, tanto do idealismo em si, mas um continuador, por excelência, do neokantismo, a saber: Johann Gottlieb Fichte (1762-1814). Portanto, utilizaremos para esta abordagem a transformação da filosofia kantiana sob a leitura de Fichte acerca da reformulação do conceito da “apercepção transcendental” (Eu penso), para a formulação do Eu puro em Fichte.  

 


Palavras-chave


: Criticismo; Idealismo alemão; Kant; Fichte.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Alamedas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Alamedas - Revista Eletrônica de Filosofia


e-ISSN 1981-0253

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Toledo

Rua da Faculdade, 645 - Jardim La Salle

CEP: 85903-000 – Toledo-Paraná-Brasil

Fone: (45) 3379-7071

| revistaalamedas@gmail.com |