O lugar do “nada” no horizonte da crítica heideggeriana à noção de ciência tradicional

Bruno José do Nascimento Oliveira

Resumo


O presente trabalho tem o objetivo de explicitar a crítica do filósofo alemão Martin Heidegger à ciência tradicional que, ao longo do tempo, ignora a questão do nada como um aspecto negativo na busca pela descoberta cientifica. Tal investigação se empenha em responder o problema do nada, como sendo a questão fundamental do ser, pois é dessa análise que Heidegger compreende o desabrochar do ser do ente, como um fenômeno essencialmente humano. Assim, temos o objetivo primordial de indicar a crítica que o filósofo constrói à ciência quando estas se ocupam dos acontecimentos históricos e naturais do ser e do mundo. Para compreender esta dinâmica, vamos trabalhar os conceitos de ente, ser e nada na tentativa de pensar como estes se estruturam no cotidiano do saber cientifico e existencial.

Palavras-chave


Heidegger. Ciência. Nada.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Revista Diaphonía

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista Diaphonía


e-ISSN 2446-7413

Unioeste

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Toledo

Rua da Faculdade, 645 - Jardim La Salle

CEP: 85903-000 – Toledo-Paraná-Brasil

Fone: (45) 3379-7058

| revista.diaphonia@unioeste.br |