A GEOGRAFIA FÍSICA NO BRASIL: EM BUSCA DAS MATRIZES TEÓRICAS ORIGINÁRIAS E SUAS INFLUÊNCIAS NAS ABORDAGENS INTEGRADORAS

Núbia Beray ARMOND, Anice Esteves AFONSO

Resumo

Anteriormente vista enquanto um subcampo estéril, a Geografia Física se mostrou efervescente e frutífera quanto a alguns debates epistemológicos. Partindo de uma das dimensões do espaço geográfico – a natureza, a Geografia Física “integradora” têm sido uma tendência vista com relativa repercussão na Geografia, principalmente a partir da apropriação da chamada “questão ambiental”. Propostas teóricas como a Geografia Ambiental e Geografia Sócio-Ambiental surgiram. No entanto, essas propostas teóricas podem ter sua origem em períodos anteriores. Considera-se já a existência de um discurso de integração da Geografia a partir da Geografia Física quando da sua institucionalização universitária no Brasil, a partir de meados da década de 30. A Geografia vinda originalmente da França traz consigo, apesar da relativa fragmentação dos estudos regionais, um apelo por uma Geografia “unificada” que acaba por influenciar as primeiras gerações de geógrafos formados no Brasil e que, sucessivamente, formaram grande parte dos geógrafos que se espalharam pelas universidades no Brasil. Muitos deles, incorporando essa tendência totalizante, reproduziram isso de diferentes formas em suas atividades no magistério superior tanto em nível de ensino quanto de pesquisa, reverberando até os dias atuais. É em busca dessas origens que nossa reflexão se coloca.

Texto completo:

PDF