O empreendedorismo social indutor de auto-organização no enfrentamento das questões sociais e no desenvolvimento integrado e sustentável: notas introdutórias e aproximativas

Edson Marques Oliveira

Resumo

Neste artigo objetivamos apresentar o resultado de um exercício teórico introdutório e aproximativo, da utilização do paradigma da auto-organização sob o fenômeno do empreendedorismo social, partindo da hipótese de que o mesmo é um fator indutor e gerador de auto-organização do sistema social, contribuindo para o desenvolvimento integrado e sustentável, bem como, no enfrentamento das expressões da questão social através das ações das organizações do terceiro setor e integração com os demais setores, governamental e empresarial. A importância desta abordagem, esta na constatação do desafio de leitura crítica e ação criativa face a complexidade das novas clivagens de enfrentamento das expressões da questão social, (exclusão e desigualdade social, pobreza, etc) e do paradoxo entre o crescimento da pobreza e exclusão social frente aos processos de reestruturação produtiva e efeitos da globalização, e desenvolvimento científico. A reflexão mostrou que o empreendedorismo social se mostra como uma ação promissora quanto a desencadear de ações locais com efeitos globais e impacto social significativos. Confirmando assim, a hipótese de trabalho, pois o mesmo gera transformação social, emancipação social, empodermento dos cidadãos, e com isso aumenta o estoque de capital social, contribuindo desta forma para o desenvolvimento sustentabilidade e justiça social.

Texto completo:

PDF