Malabares: um Olhar sobre a Fronteira Brasil/Bolívia

Anderson Luis do Espiríto Santo, Rainne Feitoza Nascimento, Rosa de Barros Ferreira de Almeida

Resumo


O propósito deste artigo é discutir a participação dos malabares na cidade de Corumbá/MS, evidenciando como a sociedade os vê e que uso os mesmos fazem da fronteira em foco. Para tanto, foram realizados levantamentos bibliográficos, seguido de entrevistas, por meio de um roteiro semiestruturado, e observação informal. A partir da organização das informações coletadas, através das técnicas de análise de conteúdo, é possível afirmar que os malabares usam a fronteira tanto como rota de entrada, quanto rota de saída; são sim artistas de rua e, dentre as maiores dificuldades enfrentadas por eles podem ser citadas: a falta de um espaço para apresentação da sua arte; ausência de apoio aos imigrantes e a existência do preconceito aos olhos dos moradores locais, fato que faz a população confundir sua arte com uma forma de ganhar dinheiro “fácil” sem trabalhar – daí a definição dos mesmos como “pedintes”.

Palavras-chave


Malabares; Fronteira; Imigrantes; Brasil-Bolívia.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Perspectiva Geográfica

 


e-ISSN: 1981-4801

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná
Campus de Marechal Cândido Rondon
Curso de Graduação e Pós-Graduação em Geografia
Rua Pernambuco, 1777 - Centro
Marechal Cândido Rondon – Paraná - CEP: 85960-000

| revista.pgeografica@unioeste.br |