EL DORADO: A INCORPORAÇÃO DO MITO NO ROMANCE HISTÓRICO LATINO-AMERICANO

Alceni Elias Langner, Gilmei Francisco Fleck

Resumo

RESUMO: No apogeu das navegações e colonizações espanholas na América, a corrida pelo ouro resplandeceu nos olhares de muitos expedicionários, sobretudo pela onírica existência do reino de Omágua e do mítico El Dorado. Movidas por essa lenda indígena de localização imprecisa, muitas expedições foram organizadas, às cegas, floresta Amazônica adentro. Entre estas está a jornada governada por Pedro de Ursúa (1559-1561). Nessa pesquisa de cunho bibliográfico, buscamos o tratamento dado ao mito El Dorado, tanto pelo revisionismo do discurso historiográfico, quanto por meio de suas representações no texto literário. Para tal, selecionamos três obras significativas do gênero romance histórico, de escritores latino-americanos: El camino de El Dorado, do venezuelano Uslar-Pietri (1947), Lope de Aguirre: príncipe de la libertad, do venezuelano Otero Silva (1079), e Una lanza por Lope de Aguirre, do argentino Jorge Ernesto Funes (1984). Ademais, esse estudo nos possibilita evidenciar diferentes modalidades do romance histórico, devido às peculiaridades de cada obra do corpus. Como aporte teórico, críticos como Hutcheon (1985), Aínsa (1991), Menton (1993), Esteves (1995) e Fleck (2007) são substrato.

Palavras-chave

El Dorado; Lope de Aguirre; Romance Histórico; Novo Romance Histórico Latino-americano; Metaficção Historiográfica.

Texto completo:

PDF