PAU-BRASIL: A VIAGEM MODERNISTA DE DESCOBERTA DO PAÍS

Autores

  • Rosália de Almeida Dias

DOI:

https://doi.org/10.48075/rlhm.v8i11.6507

Resumo


Nas primeiras décadas do século XX, um novo cenário havia surgido em nosso país e eram muitas as novidades da modernidade. O Manifesto da poesia pau-brasil e o livro Pau-Brasil, de Oswald de Andrade, são frutos desse novo contexto ao qual o homem moderno deveria se adaptar. Aproximando ideias aparentemente contraditórias, o projeto de Oswald propunha uma ruptura com os padrões estéticos vigentes e, ao mesmo tempo, fazia uma releitura da tradição cultural brasileira. Pau-Brasil é uma obra que revela o espírito crítico, revolucionário e transgressor da língua de um autor que influenciou não apenas seus contemporâneos, como também gerações posteriores. O presente artigo pretende analisar essa poesia modernista renovadora de Pau-Brasil, livro que é apresentado como uma viagem de descoberta do país. Aborda também a participação de Oswald de Andrade como organizador da histórica Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo, evento que acabou projetando seu nome nacionalmente como importante figura da renovação modernista. É evidenciada a ligação desse autor com a vanguarda artística europeia, principalmente com o Futurismo italiano idealizado por Marinetti. É destacada a insatisfação com a forma de expressão literária vigente até o início do século XX, além das inovações do movimento modernista brasileiro e da recepção por parte da crítica conservadora. 

Downloads

Publicado

22-11-2012

Como Citar

DIAS, R. de A. PAU-BRASIL: A VIAGEM MODERNISTA DE DESCOBERTA DO PAÍS. Revista de Literatura, História e Memória, [S. l.], v. 8, n. 11, 2012. DOI: 10.48075/rlhm.v8i11.6507. Disponível em: https://saber.unioeste.br/index.php/rlhm/article/view/6507. Acesso em: 28 nov. 2021.

Edição

Seção

DOSSIÊ 90 ANOS DA SEMANA DE ARTE MODERNA NO BRASIL