MOVIMENTO ARMORIAL: A DUALIDADE ENTRE O ERUDITO E O POPULAR

Jonatan Nunes Teixeira, Paulo Custódio de Oliveira

Resumo


Sem dúvida a maior obra armorial é o Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do vai-e-volta, de autoria de Ariano Suassuna e que contém, por meio de uma narração em primeira pessoa, características tidas tanto eruditas quanto populares, dialogando com elementos da Idade Média Europeia ao mesmo tempo em que conversa com obras brasileiras, chegando inclusive a ser adaptada para uma série de televisão nos anos 2000. A obra funciona como representante do Movimento Armorial, fundado na década de 70 e encabeçado pelo próprio Suassuna e envolveu não só a literatura, como também as outras artes (música, teatro). Pretendendo valorizar o erudito e ao mesmo tempo agregar elementos folclóricos (populares), principalmente aqueles obtidos da cultura sertaneja da região nordeste, teve como um ponto característico um forte nacionalismo, ligado intimamente à ideia de povo, e que se faz presente no romance sendo citado recorrentemente pelo personagem-protagonista.

Palavras-chave


Erudito; Popular; Romance; Ariano Suassuna;

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2017 Revista de Literatura, História e Memória

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |