A RODOVIA TRANSAMAZÔNICA NA LITERATURA: AS FACES DA OBRA DE ODETTE DE BARROS MOTT

José Valtemir Ferreira da Silva, César Augusto Martins de Sousa

Resumo


Historicamente, ao se reportarem à Amazônia, estudiosos, pesquisadores e integrantes do governo brasileiro refletiram, debateram e emitiram opiniões sobre propostas que visassem a sua integração, ocupação. Nesse sentido, alguns projetos e momentos se destacaram com iniciativas para alcançar êxito em tais proposições, como foi a abertura da rodovia Transamazônica (BR-230). A referida rodovia foi destaque nos principais jornais, revistas, noticiários de circulação nacional, sendo fonte de pesquisa e tema de diversos trabalhos, monografias e inspiração para diversas obras da literatura nacional. Desta forma, o presente trabalho busca a partir das diferentes versões presentes na obra da literatura juvenil nacional “A TRANSA-AMAZÔNICA” de Odette de Barros Mott, analisar e compreender as visões e opiniões acerca do processo de construção e colonização da rodovia Transamazônica na década de 1970. Desta forma, foi feita a consulta de livros, jornais e demais fontes de publicação da época, e através do diálogo com as questões expostas na obra literária, demostra-se pontos relevantes do cotidiano da construção da rodovia na década de 1970.


Palavras-chave


Transamazônica. Literatura. Memórias.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Revista de Literatura, História e Memória

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Revista de Literatura, História e Memória - Qualis B2

ISSN: 1983-1498 — ISSN: 1809-5313


Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Letras - PPGL

Rua Universitária, 2069 - Jardim Universitário
Cascavel – Paraná - CEP: 85819-110

| revistalhm@gmail.com |