A literatura-denúncia: memórias e imagens em foco

Danieli Tavares

Resumo

O poeta douradense Nicanor Coelho, em sua obra Vida Cachoeirinha, apresenta aos leitores uma visão poética de um bairro pobre de Dourados-MS, onde, segundo o autor residem
mais de mil e quinhentas famílias vindas de toda parte do Brasil em busca de um sonho. O estudo da obra Vida Cachoeirinha, de Nicanor Coelho, objetiva interpretar os poemas por meio de teorias que fundamentam e abordam as imagens poéticas ali presentes, suas representações e revelações. As imagens que o autor consagra, datam o ano de 1991, um período que serviu à
pesquisa apenas como elemento de referência, pois provida de um tempo e de um espaço, a obra é um produto histórico, um produto social -, mas não um documento histórico. Trata-se de um conjunto de poemas reflexivos acerca do mundo, das reproduções sociais; um instrumento de denúncia. O olhar do poeta incidindo sobre a vida cachoeirinha vai compondo um cenário em que homem e natureza se constroem e reconstroem desde a construção da cachoeira à vida cachoeirinha. O sentimento do eu - lírico traduz as vozes do “eu” e do “tu”, o sentimento revelado que tanto do poeta, é também um sentimento coletivo. Nesta perspectiva, o poeta compôs expondo as memórias que o incomodam, para que as mesmas fossem discutidas e estudadas a ponto de suscitarem uma nova idéia, uma construção social. Nesse processo, o poeta se manifesta não negando nem ignorando a história, mas participando dela enquanto expectador.

Palavras-chave

Poesia; Imagem; História; Memória; Sociedade

Texto completo:

PDF