“I BELONG TO THIS PLACE OF WORDS”: MEMÓRIA, PERTENCIMENTO E ESCRITURA EM BELL HOOKS

Ernani Silverio Hermes, Denise Almeida Silva

Resumo

Este trabalho busca entender como a memória se põe como um meio construtor de identidade a partir das noções de lugar e de pertencimento, e o papel da escrita nesse processo. Para tanto, tomamos como objeto de estudo a produção memorialistae ensaística da escritora afro-americana bell hooks destacando o livroBone Black: memories of girlhood (1996) e  ensaios contidos na coletânea Belonging: a culture of place (2009). A partir do corpus eleito, iremos analisar como o resgate das memórias da infância, sobretudo as atreladas ao seu lugar de origem, Kentucky, se fazem presentes no processo de construção da sua identidade.A fim de dar embasamento teórico ao estudo proposto, recorremos aos Estudos Culturais para definirmos o conceito de identidade, com apoio nos postulados de Kathryn Woodward e Tomaz Tadeu da Silva. Sobre memória, buscamos as teorias de Maurice Halbwachs, principalmente no que se refere às relações entre memória e lugar; também, nos valemos da ideia de dialética da memória e da identidade, proposta por Jöel Candau. Após a leitura dos textos de hooks, à luz das teorias elencadas, observamos que o ato da escrita impulsiona reelaboração do vivido a partir do resgate da memória, o qual, ao promover a reflexão sobre si, culmina na (re)formulação da sua identidade.

 

Palavras-chave

Memória; Identidade; Lugar; Escritura; bell hooks.

Texto completo:

PDF