O filme como leitor do texto literário: reflexões teóricas

Josmar de Oliveira Reyes

Resumo

Refletir sobre a adaptação literária nos conduz a pensar diferentemente este fenômeno semionarratológico. O que é adaptar? Por que a necessidade de transformar um texto? Como se opera esta transformação, esta passagem de um meio a outro? Como abordar a problemática da transformação? Que relação, em nível semionarratológico, pode-se estabelecer entre o texto original e o texto receptor em relação ao contexto histórico e cultural e em relação à subjetividade? Sabe-se de antemão que não há compreensão de si próprio que não seja midiatizada por signos, símbolos e textos. A compreensão de si coincide em última instância com a interpretação aplicada a estes mediadores. Antes de serem submetidos à interpretação, os símbolos são interpretantes da ação. A adaptação é portanto uma transformação de ordem semântica (sentido), semiótica (signo) e sintática (narratividade). Diversas teorias, não necessariamente calcadas na adaptação litéraria, abordam com precisão o fenômeno.

Palavras-chave

Intertextualidade; hermenêutica; dialogismo; adaptação literária; estética da recepção

Texto completo:

PDF