Una lectura burlesca de la independencia de Brasil: "O Chalaça", de José Roberto Torero (1994)

Gilmei Francisco Fleck

Resumo

Os fatos históricos envolvendo as diferentes circunstâncias que deram origem aos
processos de independências na América latina são um material rico e substancial para a escrita
híbrida de história e ficção na qual se configuram as diferentes modalidades de romances históriocs
contemporâneos. Ao longo desse texto buscamos analisar como se dá a reescritura, pela ficção,
desse processo de independência no contexto brasileiro na obra Galantes memórias e admiráveis
aventuras do virtuoso Conselheiro Gomes, o Chalaça (1994), de José Roberto Torero. Nessa
obra, embora o foco narrativo seja o Chalaça, D. Pedro I – o Imperador do Brasil – é personagem
de destaque e sua configuração recebe tratamentos paródicos e carnavalizados, os quais humanizam
o herói sacralizado pelo discurso historiográfico. Destacamos também a forte intertextualidade
da escrita de Torero com a tradição hispânica da novela picaresca.

Palavras-chave

Reescrituras da história; novo romance histórico latino-americano; narrativa brasileira contemporânea; José Roberto Torero; Chalaça (1994)

Texto completo:

PDF