O sindicalismo brasileiro frente às mudanças no trabalho, na produção e na qualificação do trabalhador

José dos Santos Souza

Resumo


O artigo analisa as concepções e ações das principais centrais sindicais brasileiras (CUT, Força Sindical, CGT e SDS) diante do processo de transformações ocorridas no mundo do trabalho e da produção nos últimos trinta anos. Toma como fontes privilegiadas de dados materiais bibliográficos primários produzidas por estas centrais sindicais, dando maior ênfase às resoluções de congressos e de plenárias sindicais de âmbito nacional. Estes dados foram confrontados com a literatura sobre o sindicalismo brasileiro e sobre reestruturação produtiva e políticas públicas para a educação brasileira. Neste rtigo, procuramos demonstrar como as ações e formulações do movimento sindical rasileiro referentes à qualificação do trabalhador confluem com as do Estado e do
empresariado. Mesmo por meio de argumentos diversos, as principais centrais sindicais rasileiras defendem a inserção do país no mercado globalizado e concebem a qualificação do trabalhador como uma estratégia imprescindível para este fim, na medida em que aumenta a produtividade e a competitividade das empresas e garante condições de empregabilidade para o trabalhador e sua conseqüente inserção na vida cidadã.


Palavras-chave


Trabalho; Ciência e Tecnologia; qualificação; Sindicalismo

Texto completo:

PDF


Direitos autorais



Revista Tempos Históricos

 

e-ISSN 1517-4689 

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Campus de Marechal Cândido Rondon

Programa de Pós-Graduação em História

Rua Pernambuco, 1777- Caixa Postal 91

Marechal Cândido Rondon – Paraná- Brasil

CEP: 85960-000

| e-mail principal: revista.thistoricos@unioeste.br — e-mail secundário: thistoricos@yahoo.com.br |