OS MULTILETRAMENTOS E OS GÊNEROS DISCURSIVOS: SER LETRADO EM AMBIENTES DIGITAIS NA MODERNIDADE TARDIA

Fernando Arthur GREGOL, Terezinha da Conceição COSTA-HÜBES

Resumo

A modernidade tardia (CHOULIARAKI; FAIRCLOUGH, 1999) trouxe consigo a ascensão dos meios digitais e de novas possibilidades de interação. Com isso, novos gêneros, ou gêneros “reconfigurados”, sustentam os propósitos discursivos e formatam os novos enunciados que nos são disponibilizados todos os dias. Esta modernidade tardia, portanto, nos coloca novos desafios: ser letrados em diferentes linguagens multissemióticas e multimodais (LEMKE, 2010). Diante desse contexto, nosso objetivo é analisar de que forma o letramento digital se manifesta do ponto de vista da leitura, compreensão e produção de textos de alunos de nível avançado e nível iniciante em Língua Inglesa, num programa de ensino de línguas de uma universidade pública. Inseridos no campo de estudos da Linguística Aplicada (MOITA-LOPES, 2006), compreendemos a linguagem como uma manifestação social, dotada de características discursivas, portanto, impossível de ser descolada de seu contexto e de uma real necessidade de estudo. Trata-se, assim, de um trabalho qualitativo-interpretativista (BORTONI-RICARDO, 2008), que pretende demonstrar como os multiletramentos se fazem presentes em salas de aulas de línguas estrangeiras na atual conjuntura em que nos encontramos.

 

Referências:

BAKHTIN, Mikhail. [1979]. Estética da Criação Verbal. Tradução do russo por Paulo Bezerra. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

BARTON, David; LEE, Carmen. Linguagem online: textos e práticas digitais. Tradução do inglês por Milton Camargo Mota. São Paulo: Parábola Editorial, 2015.

BAUMAN, Zygmunt. Globalização: as consequências humanas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1999.

BORTONI-RICARDO. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

COMMON EUROPEAN FRAMEWORK OF REFERENCE FOR LANGUAGES: Learning, teaching, assessment. Disponível em: < https://goo.gl/rNSmTa>; Acesso em 20 nov. 2018.

CHOULIARAKI, Lillie; FAIRCLOUGH, Norman (2001). Discourse in late modernity: Rethink Critical Discourse Analysis. Edinburg: Edinburg University Press.

COSTA-HÜBES, Terezinha da Conceição. A pesquisa em ciências humanas sob um viés bakhtiniano. Revista Pesquisa Qualitativa. São Paulo, v.5, n.9, p. 552-568, dez. 2017.

GEE, James Paul. Situated Language and Learning: A critique of traditional Schooling. New York: Routledge, 2004.

KRESS, Gunther. Multimodality: A social semiotic approach to contemporary communication. New York: Routledge, 2010.

LEMKE, Jay L. Letramento metamidiático: transformando significados e mídias. Trab. linguist. apl.,  Campinas,  v. 49, n. 2, p. 455-479,  Dez.  2010.

MOITA-LOPES, Luiz Paulo da (Org). Por uma linguística aplicada Indisciplinar. São Paulo: Parábola Editorial, 2006.

NEW LONDON GROUP. [1996]. A pedagogy of multiliteracies: Designing Social Futures. In: COPE, Bill; KALANTZIS, Mary (Orgs.) Multiliteracies: Literacy Learning and the Design of Social Futures. Londres/Nova York: Routledge, 2006.

ROJO, Roxane Helena Rodrigues. Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

______. Pedagogia dos multiletramentos. In: ROJO, Roxane Helena Rodrigues; MOURA, Eduardo (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

______; BARBOSA, Jacqueline Peixoto. Hipermodernidade, multiletramentos e gêneros discursivos. São Paulo: Parábola, 2015.

SANTAELLA, Lúcia. Culturas e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.

VOLÓCHINOV, Valentin. (1929). Marxismo e Filosofia da Linguagem: Problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução do russo por Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Recebido em 14-12-2018.

Aceito em 27-02-2019.

Palavras-chave

Multiletramentos. Gêneros Multimodais. Ensino de Língua Estrangeira.

Texto completo:

PDF