PENSAR O PASSADO, NARRAR A HISTÓRIA DOS AFRODESCENDENTES NA BAHIA: UM E-BOOK SOBRE MARIA FELIPA DE OLIVEIRA NO ENSINO FUNDAMENTAL

Carlos Eduardo Gomes NASCIMENTO

Resumo

O artigo apresenta o projeto “Mídias digitais para pensar o passado e narrar a história dos afrodescendentes na Bahia”, que considerou a problemática: O e-book pode ser um recurso educativo de preservação da memória histórica dos afrodescendentes na Bahia? Ressalta a relação entre mídias digitais na escola e a constituição histórica étnico-racial, a fim de estabelecer um sentimento de pertença dos alunos à história e a cultura afrodescendente. Para tanto, contou-se a história de Maria Felipa de Oliveira, mulher negra e heroína da Independência do Brasil na Bahia e propôs-se a recontagem dessa história pelos alunos, com a produção de um e-book. Observou-se que as mídias digitais podem aproximar os alunos da história dos afrodescendentes, significando o passado, criando o futuro.

Referências:

ADICHIE, C. N. O perigo de uma história única. 2009. Disponível em: <https://www.ted.com/talks/chimamanda_adichie_the_danger_of_a_single_story/transcript?language=pt#t-1110073 >. Acesso em: 24 jan. 2018.

BRASIL. Lei de diretrizes e bases da educação nacional. (LDB). Brasília: Senado Federal. Coordenação de Edições Técnicas, 2017.

­BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Orientações e Ações para a Educação das Relações Étnico-Raciais. Brasília: SECAD, 2006. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/orientacoes_etnicoraciais.pdf> Acesso: 02 abr. 2018.

DEMO, P. Educação hoje: “novas” tecnologias, pressões e oportunidades. São Paulo, SP: Atlas, 2009.

FARIAS, E. K. V. Maria Felipa de Oliveira. Heroína da Independência da Bahia. Salvador: Editora Quartetto, 2010.

FONSECA, A. G. M. F. Aprendizagem, mobilidade e convergência: mobile learning com celulares e smartphones. Revista Eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano, UFF, Rio de Janeiro, n. 2, p. 163-181, junho 2013.

FREIRE, P. A educação é um ato político. Cadernos de Ciência, Brasília, n. 24, p.21-22, jul./ago./set. 1991. Link: < http://www.acervo.paulofreire.org:8080/jspui/handle/7891/1357 >. Acesso: 30 nov. 2017.

LEMOS, A. Livro e mídia digital. Disponível em: < http:// andrelemos.info/2011/10/flica/ >. Acesso em: 01 ago. 2018.

LÉVY, P. O que é virtual. São Paulo: Editora 34, 1996.

LÉVY, P. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999.

PALFREY, J. G.; GASSER, U. Nascidos na era digital: entendendo a primeira geração de nativos digitais. Porto Alegre: Artmed, 2011.

PROCÓPIO, E. O livro na era digital: o mercado editorial e as mídias digitais. São Paulo: Giz Editorial, 2010.

MACHADO, V.; PETROVICH, C. Ilê Ifé. O Sonho do Iaô Afonjá (Mitos Afro-brasileiros). 2° ed. Salvador: EDUFBA, 2002.

NICOLAU, M.; NICOLAU, R. Educação digital na cibercultura: para onde (não) nos leva a tecnologia. In: Temática. Ano X, n. 01 - jan/2014. Disponível em: <http://www.insite.pro.br/2014/Janeiro/educacao_digital_cibercultura.pdf>. Acessado em: 01 ago. 2018.

NICOLAU, M. Educação e novas tecnologias da informação e da comunicação: o livro didático digital no Brasil. In: Temática. Ano X, n. 07 – Julho/2014a Disponível em: < http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/tematica >. Acesso em: 01 de ago. 2018.

PEREIRA, M.; Berleze, B. S. O racismo nas redes sociais: o preconceito real assumido na vida virtual. Anais do 4º Congresso Internacional de Direito e Contemporaneidade: mídias e direitos da sociedade em rede, 2017.

ROCHA, T. B. Pesquisa em redes sociais na internet: os discursos no ciberespaço. Educação em foco (JUIZ DE FORA), v. 23, p. 225-244, 2018.

SERRES, M. Polegarzinha. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013.

VALLETTA, D. Gui@ de Aplicativos para Educação Básica: uma investigação associada ao uso de tablets. In: Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino da ENDIPE, XVII, 2014, Fortaleza/CE. Fortaleza: ENDIPE, 2014.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

 

                                                                                                    Recebido em 10-01-2019.

                                                                                                        Aceito em 01-04-2019.

Palavras-chave

História dos afrodescendentes. Cultura Digital. Educação.

Texto completo:

PDF